As Melhores Pegadinhas dos Rótulos de Embalagens: Aditivos

Por:
Categoria : Saúde | 10/09/2013 | Seja o 1º a comentar!

Print Friendly, PDF & Email
As Tabelas Nutricionais Podem Ser Cheias de Grandes Pegadinhas

Para continuar a série “Você realmente sabe o que está comendo?” é muito importante conhecer os truques e pegadinhas que estão nas embalagens da maioria dos alimentos.
No artigo anterior falamos da evolução da comida; dos métodos e aditivos que garantem que os alimentos durem mais e tenham mais qualidade, e sobre alguns órgãos que fiscalizam e regulamentam o uso desses recursos.

Os aditivos que prolongam a vida de prateleira de um alimento ou dão mais sabor, melhoram a textura, aroma, entre outros, podem ter origem tanto natural como sintética e entre esses dois tem aqueles que têm limites das quantidades que são usadas por porção de alimento (geralmente em 100g) e os que são considerados BPF’s que estão de acordo com as Boas Práticas de Fabricação e são liberados porque não causam nenhum prejuízo à saúde.

Esses aditivos são obrigatórios nas embalagens junto com os ingredientes; são aqueles nomes estranhos no final das frases que a gente nunca sabe o que realmente é. Os aditivos que não trazem malefício são os seguintes:

  • Ácidos: cítrico, acético, láctico, ascórbico, ente outros. A maioria desses ingredientes são responsáveis por não deixar os alimentos oxidarem, ou seja, no caso de cereais, ficarem ranços.
  • Conservadores: propionato de cálcio e sódio, ácido propiônico, ácido acético.
  • Corantes: clorofila, betanina, carbonato de cálcio, dióxido de titânio.
  • Adoçantes: sorbitol e xarope de sorbitol, manitol, maltitol.
  • Gelatinas, lecitinas, goma guar, goma arábica, goma acácia, xantana, alginato de amônio, agar, alfarroba, pectina, entre muitos outros responsáveis para melhorar a textura do alimento.

Esses são só alguns exemplos mais comuns e a grande maioria de origem natural. É muito importante saber que esses adoçantes são muito utilizados em alimentos diet ou light e que a maioria desses aditivos não traz nenhum malefício à saúde, comprovadamente por pesquisas científicas até agora.

ATENÇÃO: esses aditivos aparecem em último lugar da lista de ingredientes porque é obrigatória a descrição dos ingredientes por ordem decrescente e quantidade, ou seja, eles são os ingredientes em menor quantidade no alimento.

Fique sempre atento a lista de ingredientes dos alimentos, ela te informa exatamente o que você está ingerindo e dá uma ideia das quantidades de cada uma, por isso evite aqueles em que nos três primeiros lugares estão preenchidos com ingredientes que podem trazer riscos a saúde.

No próximo artigo vamos falar sobre a temida tabela nutricional e as pegadinhas que encontramos por lá. Fique ligado!

Leia Também

Normas da ANVISA para alimentos alergênicos – III Nas semanas anteriores vimos as diferenças entre alergia e intolerância, em que a legislação é feita apenas para proteger as pessoas que apresentam essas doenças. Uma das doenças mais graves de alergia é chamada de doença celíaca, que pode ...
Normas da ANVISA para alimentos alergênicos – II No artigo anterior falamos um pouco sobre alergias e intolerâncias e começamos a falar das dietas sem glúten. Essa semana vamos nos aprofundar no assunto para você ficar craque e sair ajudando outras pessoas a entender sobre uma das legisla...
Normas da ANVISA para alimentos alergênicos – I Essa semana vamos falar de um assunto que está gerando muita polêmica: normas da ANVISA que influenciam diretamente na sua percepção do produto que está adquirindo. Uma delas é em relação ao conteúdo de glúten nos alimentos, mas antes vamo...
Gostou? Então compartilhe este artigo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *