Cuidados com Rins e Sistema Urinário: previna-se com estes produtos naturais

Por:
Categoria : Produtos, Saúde | 26/05/2017 | Seja o 1º a comentar!

Print Friendly, PDF & Email

As doenças renais e do trato urinário estão cada vez mais comuns, os principais fatores de risco são causas genéticas, o diabetes e a hipertensão.

No caso das doenças renais é preciso ficar atento ao consumo de dois itens: sódio e potássio, pois a filtragem e excreção destes elementos acontecem justamente nos rins. É preciso diminuir o consumo de sal e controlar a ingestão de potássio. Pacientes renais, além do tratamento médico convencional, devem ser acompanhados por nutricionista a fim de evitar maiores danos.

As mulheres tendem a sofrer mais com infecções na via urinária, inflamações na bexiga e cistites e os homens com infecções e problemas relacionados à próstata.

Cranberry: rico em compostos polifenólicos, o mirtilo-vermelho ou cranberry atua evitando que a bactéria causadora da infecção urinária (E. coli) “grude” nas paredes do sistema digestivo e urinário, impedindo a sua multiplicação e progressão.

Leia mais >> Cranberry – Um Poderoso Remédio Contra a Infecção Urinária

L-Carnitina: auxilia no controle de distúrbios lipídicos e melhora o perfil hematológico de pacientes em hemodiálise.

Leia mais >> L-Carnitina: uma recém-chegada com grande potencial para sua saúde

Enzimas vegetais: as enzimas são substâncias orgânicas com a função de catalisar outras reações químicas e aperfeiçoar a produção de outros compostos essenciais para a nossa saúde. As de origem vegetal são extraídas diretamente de frutas, verduras, legumes e raízes, podem ser encontradas em extratos líquidos prontos e podem auxiliar no tratamento de várias doenças relacionadas aos rins.

Leia mais >> Saiba o que são enzimas vegetais e seus benefícios

Canela: apresenta uma composição micronutricional rica em oligoelementos e outros compostos, como aumentar/melhorar o sabor dos alimentos e é muito indicada para ser utilizada como temperos, a fim de reduzir o consumo de sal, principalmente por pacientes renais crônicos.

Ferro: é muito comum pacientes com doenças renais graves também apresentarem anemia. Nestes casos o acompanhamento médico e a suplementação de ferro torna-se também fundamental.

Cálcio: pacientes com doenças renais costumam apresentar deficiência de cálcio, o grande problema é que os alimentos que fornecem cálcio costumam ser os mesmos que fornecem fósforo, que deve ter a ingestão controlada, principalmente em pacientes que necessitam de diálise. Daí a indicação de suplementação com este importante mineral em sua forma mais pura.

Vitamina D: a vitamina D facilita a absorção e o uso de sais minerais como cálcio e fósforo pelo organismo, equilibrando a quantidade deles no sangue. Poucos sãos os alimentos que fornecem vitamina D, ela normalmente é produzida pelo organismo na presença do sol, daí ser chamada de “Vitamina do sol”. Uma forma interessante para ser ingerida é na forma de calcitriol, a forma ativa da Vitamina D, ela pode ser ingerida na forma de líquido ou cápsulas. Pacientes renais graves tem sua produção diminuída já que no organismo ela é sintetizada em sua forma ativa pelos rins.

Chás

Uxiriun: chá misto de unha de gato, uxi amarelo e capim limão pronto para beber, é diurético e atua na prevenção e tratamento de infecção urinária, endometriose e outros problemas femininos.

Funcho: possui vários compostos farmacológicos como flavonoides, vitamina C, ômega 3 e 9 e minerais. Por possuir ação diurética, antioxidante, antifúngico e antibacteriano auxilia no tratamento de doenças renais e do sistema urinário, sendo indicado também para auxiliar a eliminação de pedra nos rins.

Leia mais >> Funcho: Benefícios e Propriedades

Dente de leão: possui ação diurética, agindo contra nefrite, cistite e hidropsia.

Erva de bicho: possui propriedades anti-inflamatórias, atuando em doenças das vias urinárias.

Quebra-pedra: possui ação diurética, analgésica, relaxante muscular e desobstruinte, é utilizada no tratamento de doenças das vias urinárias e também contra o cálculo renal (pedra nos rins).

Alcaçuz: atua em inflamações e infecções diversas, inclusive das vias urinárias.

Alecrim: possui propriedades anti-inflamatórias que aliviam dores e diminuem inflamações nos rins.

Uxi Amarelo: sua casca é utilizada no tratamento de infecções urinárias.

Cavalinha: possui propriedades diuréticas sendo indicada no tratamento de doenças da próstata, bexiga e rins.

Cabelo de milho: conhecido por sua função diurética, o chá ajuda a reduzir a retenção de líquido, no controle de infecções urinárias e redução da pressão arterial.

Chapéu de couro: tem função diurética, sendo indicado no caso de retenção de líquidos e processos inflamatórios. Não deve ser utilizado por portadores de insuficiência renal e cardíaca.

 

Referências

BRASIL. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. RESOLUÇÃO – RDC Nº 10, DE 9 DE MARÇO DE 2010. Anexo 1.

GRANDI, T. S. M. Tratado das plantas medicinais. Belo Horizonte: Adaequatio Estúdio. 2014. E-book.

Portal Diálise. Disponível em https://www.portaldadialise.com

Sociedade Brasileira de Nefrologia. Alimentação em Diálise. Disponível em https://sbn.org.br/publico/nutricao/

 

Leia Também

Normas da ANVISA para alimentos alergênicos – III Nas semanas anteriores vimos as diferenças entre alergia e intolerância, em que a legislação é feita apenas para proteger as pessoas que apresentam essas doenças. Uma das doenças mais graves de alergia é chamada de doença celíaca, que pode ...
Normas da ANVISA para alimentos alergênicos – II No artigo anterior falamos um pouco sobre alergias e intolerâncias e começamos a falar das dietas sem glúten. Essa semana vamos nos aprofundar no assunto para você ficar craque e sair ajudando outras pessoas a entender sobre uma das legisla...
Normas da ANVISA para alimentos alergênicos – I Essa semana vamos falar de um assunto que está gerando muita polêmica: normas da ANVISA que influenciam diretamente na sua percepção do produto que está adquirindo. Uma delas é em relação ao conteúdo de glúten nos alimentos, mas antes vamo...
Gostou? Então compartilhe este artigo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *