Dieta Detox: Livre-se do lixo – Previna-se

Por:
Categoria : Alimentos Funcionais, Saúde | 06/03/2014 | Seja o 1º a comentar!

Print Friendly, PDF & Email
Dieta Detox: Livre-se do lixo – Previna-se

No artigo anterior nós adquirimos mais consciência sobre o que é toxina e como elas se comportam dentro do nosso organismo. Agora vamos aprender como evitar que essas toxinas prejudiquem a nossa saúde. Antes prevenir do que remediar, certo?!

Apesar do que a maioria diz, as toxinas (também chamadas de anti-nutrientes) não são substâncias exclusivas de alimentos processados, infelizmente muitos alimentos naturais também possuem esses mal feitores. Felizmente não é difícil de eliminar essas toxinas de alguns alimentos e a ANVISA tem aprimorado o controle desses componentes nos alimentos.

•    Feijão: o mais famoso alimento brasileiro é um dos alimentos naturais que possuem toxinas. Para eliminá-las é muito importante deixar o feijão de molho em água por uma hora  antes de prepará-lo. Fazendo isso você não só elimina as toxinas que causam sérios desconfortos gastrointestinais, como também melhora a facilidade com que o corpo absorve o ferro do feijão.
•    Soja: apesar de ter nutrientes extremamente importantes para o nosso organismo, a soja também precisa ser bem preparada para que as toxinas naturais dela não façam mal a nossa saúde. Além de deixar a soja de molho, é muito importante que seja cozida lentamente em fogo baixo e é ainda melhor quando a soja passa por processo de fermentação.
•    Amendoim: de todos é o mais perigoso. Um fungos no amendoim pode produzir as aflotoxinas que podem aumentar o risco de câncer e prejudica o nosso sistema nervoso. Para evitar essa aflotoxina é extremamente importante apenas consumir amendoins dentro do prazo de validade e de procedência segura. Dependo do tipo de cultivo e armazenamento, o amendoim pode estar contaminado. O consumo esporádico do amendoim é a melhor recomendação para evitar essa toxina.

Alimentos industrializados também apresentam toxinas perigosas para o nosso organismo. Por isso devemos estar sempre de olho e consumir o mínimo possível de alguns alimentos prontos.

•    Refrigerantes: são os campeões em toxinas e o nosso corpo demora 23 dias para eliminar as toxinas de apenas um copo desse alimento, dentre elas estão os fosfatos que em excesso podem causar problemas cardíacos, além de conter oxalatos que causam pedra no rim. Evite ao máximo o consumo de refrigerantes. Trocar esses alimentos por sucos naturais, além de evitar a contaminação por essas toxinas, ainda podem trazer benefícios para a sua saúde.
•    Embalagens: as embalagens dos alimentos também podem conter toxinas como latinhas de refrigerante ou alimentos enlatados, mamadeiras e outras embalagens plásticas. As latas podem conter metais pesados quando apresentam qualquer tipo de dano e além disso podem conter bisfenol, também presente em mamadeiras e embalagens plásticas que apesar de ter sido proibida em 2012 pela ANVISA, ainda está presente em algumas embalagens. Nunca consuma alimentos que tenham embalagens amassadas ou danificadas.
•    Flavorizantes e corantes sintéticos: alguns aditivos como o glutamato monossódico e corante de caramelo apresentam toxinas que podem trazer graves danos a nossa saúde. Inclusive o corante de caramelo IV (ou INS 150d) obtido através do uso de sulfitos e compostos amoniacais são cancerígenos e muito comuns em refrigerantes. Fique sempre de olho nos rótulos dos alimentos. É obrigatório que esses aditivos estejam listados nos ingredientes, se encontrá-los, fique longe.

ATENÇÃO: vegetarianos e pessoas que normalmente consomem muitos legumes, hortaliças e grãos: esses alimentos também contém toxinas como oxalatos, saponinas e até mesmo cianeto. Por isso é muito importante fazer, pelo menos, um processo chamado branqueamento antes de consumir um alimento. Basta passar os legumes por uma água fervendo por alguns minutinhos e depois colocá-los em água contendo gelo, isso diminui muito a quantidade de toxinas nos alimentos.

Fique ligado e continue acompanhando nosso Blog para saber tudo sobre a Dieta Detox!

Leia Também

Normas da ANVISA para alimentos alergênicos – III Nas semanas anteriores vimos as diferenças entre alergia e intolerância, em que a legislação é feita apenas para proteger as pessoas que apresentam essas doenças. Uma das doenças mais graves de alergia é chamada de doença celíaca, que pode ...
Normas da ANVISA para alimentos alergênicos – II No artigo anterior falamos um pouco sobre alergias e intolerâncias e começamos a falar das dietas sem glúten. Essa semana vamos nos aprofundar no assunto para você ficar craque e sair ajudando outras pessoas a entender sobre uma das legisla...
Normas da ANVISA para alimentos alergênicos – I Essa semana vamos falar de um assunto que está gerando muita polêmica: normas da ANVISA que influenciam diretamente na sua percepção do produto que está adquirindo. Uma delas é em relação ao conteúdo de glúten nos alimentos, mas antes vamo...
Gostou? Então compartilhe este artigo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *