Você sabe a diferença entre gelatina e colágeno hidrolisado? E entre colágeno tipo I e colágeno tipo II?

Por:
Categoria : Alimentos Funcionais, Produtos, Saúde | 13/12/2016 | 10 comentários

Print Friendly, PDF & Email

Já falamos sobre o colágeno e seus benefícios para nosso organismo neste outro artigo, mas queremos abordar um pouco mais sobre o tema, principalmente porque sempre nos perguntam sobre as diferenças entre os tipos de colágeno, colágeno hidrolisado e gelatina.

O primeiro ponto importante a destacar é que a ciência já identificou 29 tipos de colágeno diferentes, no entanto o mais comum em nosso organismo (e também no mercado) é o colágeno tipo I. A perda do colágeno começa a ocorrer a partir dos 30 anos, sendo assim uma das principais causas do envelhecimento e de diversas doenças relacionadas a pele, ossos, músculos, tendões e articulações.

Além do colágeno tipo I e da gelatina (um derivado deste mesmo colágeno) está chegando agora ao mercado o colágeno Tipo II.

O colágeno tipo II está presente em locais que resiste a grandes pressões, como a cartilagem elástica e hialina, discos intervertebrais e nos olhos, daí o interesse do campo médico em estudar seus efeitos contra doenças como a osteortrite (principalmente coluna, joelho, dedos e quadril) e a artrite reumatoide, os primeiros estudos indicam que o seu uso frequente reduz as dores sentidas pelos pacientes das duas doenças, mas as pesquisas com este tipo de colágeno ainda são bem recentes.

A importância dos estudos sobre o colágeno tipo II está também no fato da osteortrite se tratar de uma doença autoimune e este tipo de colágeno ser bioidentico (por não ser desnaturado – ou seja, não passar pelo processo de aquecimento a altas temperaturas para a sua extração), o consumo oral do colágeno tipo II, ao passar pelo sistema digestivo é reconhecido pelo organismo e isso dessensibiliza o sistema imune, levando a uma tolerância oral.

Ele também é indicado nos casos de artrite e osteoartrite, artrose e osteoartrose, atrite reumatoide, poliartritereumatóide juvenil, lesão articular e lesão da cartilagem, inclusive nos casos de LER (Lesão por Esforço Repetitivo).

Diferença entre colágeno e gelatina

A gelatina (tanto em quanto em cápsula) é um derivado bovino e tem a habilidade de formar géis estáveis e reversíveis. A principal diferença da gelatina para o colágeno (que compramos em pó ou cápsulas) é que a gelatina não passa pelo processo de hidrólise, ou seja, ela não é hidrolisada, mas também é colágeno (não hidrolisado)!

O colágeno hidrolisado (tipo I) também é um derivado bovino com alto conteúdo proteico (84 a 90%), sua extração é feita em água (temperaturas entre 50 e 60ºC) ou através de enzimas, este processo de hidrólise quebra as moléculas da proteína presente no colágeno. Menores, elas são absorvidas pelo organismo com mais facilidade, ou seja, você tem de consumir uma dose bem maior de gelatina em cápsula para ter o mesmo efeito do colágeno hidrolisado.

O colágeno tipo II por sua vez é extraído de aves (frango) por um processo diferente do que é utilizado para a extração da gelatina e do colágeno tipo I. Este processo é chamado de não-desnaturado e não-enzimático, ou seja, não é utilizado enzimas nem altas temperaturas, o que garante um colágeno sem alteração molecular (bioidêntico).

E as gelatinas e colágenos de peixe? Qual a diferença?

Você pode encontrar ainda a gelatina de peixe e o colágeno marinho, ambos são fontes de colágeno tipo I, no entanto o colágeno marinho, derivado das escamas dos peixes (leia mais sobre ele neste artigo), é também rico em Ácido Hialurônico, substância nutricosmética que combate o envelhecimento de dentro para fora, ele promove o autopreenchimento cutâneo, diminuindo rugas e marcas de expressão.

E os Veganos? Não há nenhuma forma de colágeno vegetal?

Para os vegetarianos e veganos uma opção para substituição é o uso de Ágar-ágar, proveniente de algas marinhas é uma fonte natural e vegetal de colágeno, que ainda possui muitas fibras e minerais, veja esse artigo sobre o ágar-ágar.

Três pontos devem ser destacados:

• O colágeno e a gelatina não são incorporados no organismo, eles são suplementos de matéria-prima (proteína e aminoácidos), que permitem ao nosso organismo produzir o colágeno necessário.

• Para que ocorra a produção de colágeno em nosso organismo é preciso a presença de vitamina C (Ácido Ascórbico), por isso algumas cápsulas de colágeno já são vendidas com Vitamina C.

• Além do colágeno, os tecidos ósseo e conjuntivo, também requerem a presença de silício um oligoelemento que, quando em deficiência, leva a debilidade dos tendões, ossos e a doenças esclerosantes como a artrose (veja esse artigo sobre o silício).

O consumo regular de gelatina e/ou colágeno hidrolisado ajuda na formação do tecido humano, pois colabora na cicatrização e regeneração dos tecidos. No caso das unhas e cabelos, o colágeno forma uma matriz onde os minerais se fixam para deixá-los fortes, resistentes e brilhantes. Para a pele o nutriente oferece mais elasticidade, porém, isto terá pouca influência no aspecto e evolução da celulite.

Fontes:

GONÇALVES, G. et al. BENEFÍCIOS DA INGESTÃO DE COLÁGENO PARA O ORGANISMO HUMANO. REB Vol. 8(2): 190-207, 2015

ADRIAENSSENS, K. SUPLEMENTAÇÃO DE COLÁGENO HIDROLISADO E SEU IMPACTO NO TRATAMENTO DE OSTEOARTRITE E REUMATOIDE: UMA REVISÃO DA LITERATURA. UniCEUB. Brasília. 2015.

VELOSA, A.; TEORODO, W.; YOSHINARI, N.. COLÁGENO NA CARTILAGEM OSTEOARTRÓTICA. RevBrasReumatol, v. 43, n. 3, p. 160-6, mai./jun., 2003.

PRESTES, R. et al. CARACTERIZAÇÃO DA FIBRA DE COLÁGENO, GELATINA E COLÁGENO HIDROLISADO. Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, Campina Grande, v.15, n.4, p.375-382, 2013.

Leia Também

Normas da ANVISA para alimentos alergênicos – III Nas semanas anteriores vimos as diferenças entre alergia e intolerância, em que a legislação é feita apenas para proteger as pessoas que apresentam essas doenças. Uma das doenças mais graves de alergia é chamada de doença celíaca, que pode ...
Normas da ANVISA para alimentos alergênicos – II No artigo anterior falamos um pouco sobre alergias e intolerâncias e começamos a falar das dietas sem glúten. Essa semana vamos nos aprofundar no assunto para você ficar craque e sair ajudando outras pessoas a entender sobre uma das legisla...
Normas da ANVISA para alimentos alergênicos – I Essa semana vamos falar de um assunto que está gerando muita polêmica: normas da ANVISA que influenciam diretamente na sua percepção do produto que está adquirindo. Uma delas é em relação ao conteúdo de glúten nos alimentos, mas antes vamo...
Gostou? Então compartilhe este artigo!

Comentário (10)

  1. postado por André Luiz Alberto Moore em 07/04/2017

    Gostei da explicações mas não sabia que essa substância não vai alimentar as minhas cartilagens só vai cooperar com as substâncias contidas no colágeno. Onde vai depender de qual alimentos então para regenerar minhas cartilagens ???

    • postado por Relva Verde Produtos Naturais em 10/04/2017

      Olá André,
      A ‘regeneração’ das cartilagens não acontece de forma ‘externa’, apenas o próprio organismo pode produzir colágeno para recompor ossos, cartilagens e pele. Com o passar dos anos essa produção ‘natural’ diminui, daí a necessidade de consumir colágeno proveniente de outros animais (boi, peixes, frango ou algas) para ter matéria-prima disponível para que nosso organismo possa voltar a produzir colágeno.
      Essa produção (conversão do colágeno animal em colágeno ‘humano’) só acontece na presença de Vitamina C, daí a importância de consumir os dois. O Colágeno Tipo 2, proveniente do frango, é bio idêntico ao humano, daí a sua maior eficiência. É diferente do consumo de alguns minerais, como o cálcio, ou de medicamentos como a insulina, que já estão ‘prontos’, é muito mais parecido com o que fazem os atletas, que usam o consumo de proteína para aumentar a massa muscular através dos exercícios (proteína = colágeno animal, exercícios = vitamina C, músculos = reposição de colágeno em ossos, articulação e pele).
      O ácido ascórbico (vitamina C) é facilmente encontrado em frutas cítricas, frutas vermelhas, verduras e folhas, pimentões, batatas, beterrabas. Hoje as fontes mais ricas em vitamina C são: gojiberry, cranberry e mirtilo. A vitamina C também pode ser encontrada em cápsulas.
      Estamos à disposição 😉

  2. postado por Zilma em 03/08/2017

    Gostaria de saber qual a quantidade de colágeno hidrolisado tipo I e Vit C em cápsulas diárias que devemos ingerir p a melhora das articulações?
    E a gelatina em pó ajuda tbm ou é pouco absorvida?
    Ou td isso é mito?
    Obrigada.

    • postado por Relva Verde Produtos Naturais em 03/08/2017

      Olá Zilma,

      Para o colágeno, a dose recomendada é de 10g ao dia. Já a vitamina C A dose recomendada de ingestão diária é entre 80 a 100mg.

      Trabalhamos com diversas opções de colágeno em cápsulas, algumas cápsulas já são vendidas com Vitamina C: http://www.lojarelvaverde.com.br/colageno

      A gelatina (tanto em pó quanto em cápsula) é um derivado bovino. Ela não passa pelo processo de hidrólise, ou seja, não é hidrolisada, mas também é colágeno (não hidrolisado)!
      O colágeno e a gelatina não são incorporados no organismo, eles são suplementos de matéria-prima (proteína e aminoácidos), que permitem ao nosso organismo produzir o colágeno necessário. Porém, para que ocorra a produção de colágeno em nosso organismo é preciso a presença de vitamina C (Ácido Ascórbico).
      O ácido ascórbico é facilmente encontrado em frutas cítricas, frutas vermelhas, verduras e folhas, pimentões, batatas, beterrabas. Hoje as fontes mais ricas em vitamina C são: gojiberry, cranberry e mirtilo. A vitamina C também pode ser encontrada em cápsulas.

      Estamos à disposição 😉

  3. postado por Danielle em 14/09/2017

    Meu médico me passou uma fórmula de colágeno tipo II porém achei bastante cara e ainda terei que fazer uso por 6 meses, os colágenos tipo II vendidos nas farmácias convencionais tem os mesmos benefícios das fórmulas?

    • postado por Relva Verde Produtos Naturais em 14/09/2017

      Olá Danielle,

      Trabalhamos com o colágeno tipo II das marcas Unilife e Snella, ambos de ótima qualidade.
      Cada comprimido contém 40mg de colágeno tipo II: http://www.lojarelvaverde.com.br/colageno-tipo-2

      Consulte sempre o seu médico.

      Estamos à disposição;)

      • postado por Thiago em 18/04/2018

        Nossa…. Fiquei impressionado, o médico da Danielle provavelmente deve ter prescrito 10g de colágeno tipo II, e conforme o próprio autor do texto o ideal sera 10g de colágeno por dia, sendo assim se a Danielle seguisse sua sugestão de colágeno em comprimidos e precisaria tomar 25 comprimidos para ter 10g. Seria melhor avaliarem o que indicam, não?

        • postado por Relva Verde Produtos Naturais em 23/04/2018

          Olá Thiago,

          Para o colágeno, a dose recomendada é de 10g ao dia.
          Já a vitamina C A dose recomendada de ingestão diária é entre 80 a 100mg.
          Trabalhamos com diversas opções de colágeno em cápsulas, algumas cápsulas já são vendidas com Vitamina C: http://www.lojarelvaverde.com.br/colageno

          Estamos à disposição 😉

  4. postado por Michael em 02/11/2017

    Bom dia. Eu terei de tomar tanto o colágeno tipo 1 quanto o colágeno tipo 2 para conseguir benefícios para a pele e as cartilagens?! Não existe 1 colágeno que proporcione os 2 benefícios? Agradeço.

    • postado por Relva Verde Produtos Naturais em 06/11/2017

      Olá Michael,

      Tanto o colágeno tipo I como o tipo II trazem os benefícios para a pele e cartilagens. O Colágeno Tipo 2, proveniente do frango, é bio idêntico ao humano, daí a sua maior eficiência.
      Porém, para que ocorra a produção de colágeno em nosso organismo é preciso a presença de vitamina C (Ácido Ascórbico), por isso algumas cápsulas de colágeno já são vendidas com Vitamina C.
      O ácido ascórbico é facilmente encontrado em frutas cítricas, frutas vermelhas, verduras e folhas, pimentões, batatas, beterrabas. Hoje as fontes mais ricas em vitamina C são: gojiberry, cranberry e mirtilo.

      Estamos à disposição 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *