Você sabe a diferença entre semente, flocos, farinha e farelo?

Por:
Categoria : Alimentos Funcionais, Saúde | 18/01/2017 | Seja o 1º a comentar!

Print Friendly, PDF & Email

As sementes são óvulos maduros e já fecundados que podem dar origem a novas plantas, elas possuem uma reserva nutritiva que tem o objetivo de nutrir a futura planta, essa reserva pode ser em óleo, amido ou proteínas. Daí a importância nutricional das sementes em nossa alimentação.

Alguns tipos de sementes, como as sementes de cereais (trigo, aveia, arroz, milho, etc.) também são chamadas de grãos e quando trituradas ou prensadas podem gerar vários novos produtos.

Normalmente no primeiro processo de moagem é retirada a casca da semente, é o que chamamos de farelo, ele é rico em fibras e vitaminas, que estão presentes na casca destas sementes.

Após a retirada do farelo, o processo de moagem continua, e chegamos então a farinha.

No caso do trigo e da soja é comum, antes de chegarmos à farinha, ocorrer a extração do gérmen (embrião) que é rico em vitaminas e nutrientes diversos.

No caso de sementes como chia, linhaça, gergelim, abóbora e outras é possível também que ocorra a extração de óleo, já que nestas sementes a reserva nutritiva se dá na forma de óleo. É importante observar que quando há a extração do óleo, a farinha ou farelo resultante no final do processo é chamada de desengordurada.

As farinhas integrais, ao contrário do que foi dito até aqui, são moídas integralmente, sem retirar nenhuma de suas partes, daí o fato de serem mais nutritivas, já que concentram os ingredientes tanto da casca quanto da reserva nutritiva da semente.

No caso do trigo temos ainda a forma de shorot", que é uma farinha integral só que mais grossa que a tradicional.

Também podemos encontrar ainda os flocos, muito comum no caso de arroz, milho, quinoa, aveia, amaranto, etc, os flocos são resultados da prensagem da semente/grão integral destes cereais. Por isso são também ricos em fibras, carboidratos e nutrientes.

Vale lembrar que só deveríamos chamar de grãos as sementes de gramíneas/cereais (cevada, trigo, milho, arroz, aveia, centeio), as sementes de leguminosas como feijão, ervilha, amendoim, soja, lentilha e grão de bico devem ser chamadas apenas de sementes, apesar de que no senso comum essas são as que mais chamamos de grãos.

As sementes de leguminosas são comumente transformadas apenas em farinha ou pasta, uma exceção importante é a soja, que é transformada em farinha, proteína e óleo para consumo humano. O farelo (que normalmente é desengordurado na primeira etapa do processo de fabricação do óleo de soja costuma ser utilizado apenas como combustível ou alimento animal).

Leia Também

Normas da ANVISA para alimentos alergênicos – III Nas semanas anteriores vimos as diferenças entre alergia e intolerância, em que a legislação é feita apenas para proteger as pessoas que apresentam essas doenças. Uma das doenças mais graves de alergia é chamada de doença celíaca, que pode ...
Normas da ANVISA para alimentos alergênicos – II No artigo anterior falamos um pouco sobre alergias e intolerâncias e começamos a falar das dietas sem glúten. Essa semana vamos nos aprofundar no assunto para você ficar craque e sair ajudando outras pessoas a entender sobre uma das legisla...
Normas da ANVISA para alimentos alergênicos – I Essa semana vamos falar de um assunto que está gerando muita polêmica: normas da ANVISA que influenciam diretamente na sua percepção do produto que está adquirindo. Uma delas é em relação ao conteúdo de glúten nos alimentos, mas antes vamo...
Gostou? Então compartilhe este artigo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *